Canonet QL17 GIII

dscn9415.jpgA Canonet QL17 GIII é uma rangefinder compacta, com uma lente fixa de 40mm e aboertura máxima f/1.7. Foi fabricada pela Canon entre 1972 e 1982 e teve mais de um milhão de cópias vendidas. Era a top de linha da série Canonet, iniciada em 1961 e que teve, ao todo, 14 modelos, que podem ser vistos no museu da Canon. As primeiras da série eram maiores e tinham fotômetro de células de selênio. Houve versões com lentes de 45 e 40mm, com aberturas máximas de 1.7, 1.9, 2.5 e 2.8. A sigla QL presente em algumas versões significa quick loading, ou seja, com mecanismo de carregamento rápido de filme, e o número que vem em seguida corresponde à claridade da lente (17 = f/1.7).

A 17 GIII tem muitos aficionados por reunir, num corpo compacto e relativamente barato na época, uma ótima lente e recursos avançados. Entre eles estão: o sistema de carregamento rápido de filme, rangefinder acoplado, modo automático de prioridade de velocidade, modo manual (sem medição), temporizador, velocidades entre 1/500 e B, sapata para flash, contato PC, obturador Copal extremamente silencioso, com sincronismo em todas as velocidades, célula do fotômetro dentro da rosca do filtro e correção de paralaxe.

A qualidade das imagens e os recursos eram tão completos que esse modelo chegou a ser comparado com rangefinders clássicas como Leica e Contax. Embora a Canonet não possibilite a troca de lentes, a distância focal de 40mm, a claridade da abertura 1.7 e a nitidez obtida mesmo com a abertura máxima contavam a seu favor, como pode ser visto em algumas imagens feitas com a câmera:

phdstudent
Durian – phdstudent

Mike Webkist
Nails – Mike Webkist

Toby Keller
Grocery Store – Toby Keller

Em seguida, algumas fotos da câmera com as respectivas funções e componentes:

dscn9411.jpg

dscn9410.jpg

dscn9414.jpg

dscn9413.jpg

Um dos inconvenientes desse modelo é que há a necessidade de uma bateria que não existe mais: a 625px, de mercúrio, com voltagem de 1,35. Felizmente, há um modelo de bateria alcalina 625 (sai por R$ 5 nas lojas do centro de SP) que substitui a antiga. No entanto, a voltagem é diferente: 1,5. Isso pode causa uma pequena variação na leitura do fotômetro, que deve fazer muito pouca diferença no uso de negativos. Se isso for realmente um problema, é possível pedir ao técnico de confiança que altere a câmera para que a fotometria funcione adequadamente com a corrente de 1,5 volts.

Aliás, o modo de medição da Canonet merece destaque: embora ele só funcione no modo de prioridade de velocidade, há uma indicação de qual abertura a câmera “recomenda” para aquela cena. Isso permite o uso como referência para o modo manual, já que basta observar a relação de abertura e velocidade no modo automático, passar para o manual e fazer as devidas compensações.

Outro problema é que não há como desligar o fotômetro: ele permanece funcionando enquanto há luz atingindo a célula de medição. Isso faz da tampa da lente um item essencial, já que sem ela a bateria seria gasta rapidamente. O diâmetro da tampa é de 50mm, de forma que a melhor saída é comprar uma que já venha com a original. A minha veio sem, mas felizmente achei uma na loja do Pretti da galeria 7 de abril. No modo automático, a Canonet tem outra vantagem: não permite que a foto seja feita com a tampa na lente, erro muito comum em rangefinders, já que o visor é independente da objetiva.

Por conta da desvalorização dos equipamentos analógicos após a popularização da fotografia digital, a Canonet é mais uma opção para quem quer ótima qualidade de imagem por um preço irrisório. Embora seja um pouco difícil de achar no Brasil — diz-se que quem tem não vende — há inúmeras delas no eBay, custando em torno dos US$ 50, o que dá menos de cem reais. Comprei a minha através desse site e, assim que ela chegou, mandei para uma revisão completa na Anatec (R. 7 de abril, 125, 1º andar). Veio como nova e agora anda na bolsa da minha esposa, que queria uma câmera pequena, mas de qualidade, para fazer fotos do Centro de São Paulo.

Um comentário sobre “Canonet QL17 GIII

  1. Prezado Rodrigo,
    Essa m?quina parece ser bem interessante e bastante acess?vel. Gostaria de saber se as baterias s?o fundamentais para o funcionamento da c?mera ou se ? poss?vel acionar o obturador sem elas em algum dos modos dispon?veis (imagino que seja necess?rio us?-la em modo manual) ainda que n?o tenhamos as leituras do fot?metro. N?o gostaria de ficar dependente dessas baterias de 1,35V ou ter de fazer a regulagem do circuito com um t?cnico.

  2. Ol?, Rodrigo. ? muito boa a sugest?o do post, eu ja tinha ouvido falar da linha Canonet e sempre tive dificuldades para encontrar uma aqui em Recife. Voc? disse que adquiriu a sua no ebay. Voc? teve problemas com a alfandega? Conseguiu algum tipo de isen??o? O meu medo de comprar pelo ebay ? em rela??o ao desembara?o alfandegario. Voc? tem alguma sugest?o em rela??o a esse assunto?

  3. Caro Ricardo,

    N?o tive nenhum problema em comprar no eBay. Voc? corre o risco de ser taxado na alf?ndega, mas da mesma forma a encomenda ? enviada para a ag?ncia dos Correios mais perto da sua casa. Voc? vai at? l?, paga a taxa e retira a mercadoria. Como os vendedores mandam uma declara??o de valor, se houver taxa??o, ela dever? ser pequena, uma vez que as Canonets n?o costumam passar de US$ 50. ? um risco que voc? precisa levar em considera??o, mas com essa ?poca de dolar super baixo, vale a pena. Mesmo com frete e taxa voc? provavelmente pagar? menos do que se encontrar uma dessas, em bom estado, aqui no Brasil

  4. Ricardo, possuo uma Canonet como a sua, por?m preta e em pior estado de conserva??o.
    Ela veio sem a tampa da lente e para evitar que o fot?metro fique “lendo”, eu apenas giro o anel de aberturas para outra posi??o al?m da “A”.
    Li em algum lugar que ao fazer isso o fot?metro ? desligado.

  5. Caro Rodrigo
    Acabei de adquirir uma canonet QL17 GIII e quero pedir a gentileza se poder me explicar melhor que ela s? funciona no modo de prioridade de velocidade, ou seja, eu a deixo no autom?tico, escolho a velocidade de acordo com a luz (1/30, 1/125, 1/250 ou 1/500) e ela me d? a abertura atrav?s de um Led l? dentro?
    Grato e um forte abra

  6. Celso,

    ? isso mesmo. Deixando no autom?tico, voc? seleciona a velocidade e a c?mera escolhe a abertura. Mas o legal ? justamente o fato dela possuir esse led que indica a abertura. Isso porque, caso voc? queira uma determinada abertura, pode alterar a velocidade at? o led indicar que aquela abertura ser? utilizada. Ou, outra op??o ? usar a leitura indicada pelo fot?metro como base para a opera??o manual, em que voc? seleciona a velocidade e a abertura no barril da lente.

  7. Elmo e Rodrigo
    Fiz um teste na QL17 usando a bateria de 1,5 e 1,35 volts.
    Com a bateria de 1,5 em rela??o a de 1,35, o fot?metro subexp?e 0,5 (meio ponto), o que deve ser uma vantagem quando se usa um filme p&b … agora, pra negativos coloridos, precisa ver o resultado no papel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *