Cássio Vasconcellos

Um dia desses peguei na SescTV (antiga TV Senac, antiga STV) o programa O Mundo da Fotografia. A edição apresentava o trabalho do fotógrafo Cássio Vasconcellos, destacando três dos seus projetos. O fotógrafo já foi vencedor do Prêmio Porto Seguro de Fotografia, em 2001 e tem no seu currículo inúmeras exposições individuais e coletivas, bem como participaçãm em livros.

Os trabalhos apresentados no programa se destacam tanto pela diversidade de temas como pela variação de técnicas a fim de obter os resultados desejados para cada uma das propostas. Um deles era uma série sobre o mar, com fotos de navios e de paisagens marinhas. O autor explicou que, para obeter uma efeito nebuloso ou irreal, utilizou revelação com algodão e montagens com fita adesiva nos negativos. Já a coleção Panorâmicas mostra a cidade através de perspectivas incomuns, criando novas formas de ver o cotidiano, seja pela verticalização dos assuntos ou pelos cortes incomuns. A série noturnas, feita com Polariod e com luz artificial, também traz uma sensação de estranhamento em relação à cidade.

O trabalho de Cássio Vasconcellos, embora utilize técnicas totalmente diversas, na verdade busca sempre uma mesma coisa, que é a desconstrução da percepção, do conforto, do reconhecimento. Há nas fotos uma dose de fantasia, que vai da poesia urbana das panorâmicas ao onírico dos navios. Uma ótima obra para se ter como norte quando se faz fotografia por arte.

Site oficial: Cássio Vasconcellos

Um comentário sobre “Cássio Vasconcellos

  1. Rodrigo,

    como fez para assistir o tal programa? Está disponível apenas para os assinantes de alguma TV a cabo ou conseguiu de uma outra forma? (Internet, vídeo ou outros)

    Abraços

    Max

  2. Rodrigo, talvez a informação abaixo sirva para aqueles que não tem acesso à NET.

    Os programas estão disponíveis no Youtube. Basta digitar MUNDO e FOTOGRAFIA que eles aparecem.

    Max

  3. Há dois anos procurava o nome do fotógrafo, que ví certa noite um programa de tv. Fiquei impressionada com o fato dele estar na água do mar para fotografar. Contudo achei as imagens dos navios, algo denso, pesado. Fiquei paralisada ao perceber que uma de suas fotos, do jeito como eu a ví, parecia o perfil da cabeça de uma negra. Será que só eu via aquilo? Ele não via? Nem quis saber o nome do fotógrafo que dava entrevista, nem o canal de tv. No dia seguinte acordei com um sonho intenso, que me aproximou mais da energia do mar. Ontem ví a TV Assembléia e lá estava ele. Hoje dia de seu aniversário, encontro a “cabeça da negra”, Caracas 2. Dizer parabéns é bem pouco, diante da minha gratidão eterna pelo Cássio ter persistido e realizado seu desejo de fotografar. Peço, com profundo respeito, que o mar te proteja e abençõe sempre.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *