Como escolher uma câmera

Câmeras fotográficas estão se tornando um produto de nicho. Como hoje todo mundo fotografa com os celulares, que têm câmeras cada vez melhores, a fabricação e venda de equipamentos exclusivamente fotográficos está caindo. É possível que, em breve, apenas profissionais e apenas amadores muito entusiasmados continuem comprando câmeras.

Enquanto esse dia não chega, ainda existe a preocupação sobre como escolher uma câmera. A nossa forma de tentar, a partir do nosso pensamento cartesiano, é fazer uma lista de opções e comparar números. Megapixels, velocidade, abertura da lente, tamanho da tela, peso, número de botões e tudo o mais. Também incluímos os termos criados pelos departamentos de marketing para falar de especificações que prometem grande resultados.

O problema é que prestar atenção demais no equipamento atrapalha a boa fotografia. Para fotografar bem, é preciso construir uma relação íntima e significativa com aquilo que estamos fotografando. Desenvolver um “ver” que que esteja conectado ao assunto, seja ele qual for. E aí, se a câmera entra no meio, essa relação se perde. A câmera precisa desaparecer.

Foto: Holy [K]
Foto: Holy [K]
Se você concorda com isso, entenderá, então, que os critérios para escolher uma câmera não devem ser números, tampouco o raciocínio de conseguir a melhor câmera pelo dinheiro que você tem. O critério será ter uma câmera que possa sumir enquanto você está fotografando. A partir disso, podemos pensar em três pontos práticos:

Escolha uma câmera que você não terá medo de usar

Se você tiver um equipamento muito caro e sofisticado, provavelmente se preocupará com quedas, quebras, assaltos. Isso pode deixar você tenso na hora de fotografar. Tenha um equipamento com o qual você não precise se preocupar, que não causará muito prejuízo ou falta caso você o perca ou ele se quebre. Assim você poderá fotografar onde quiser e poderá realmente usar sua câmera. Sua fotografia ficará mais livre.

Escolha uma câmera que você possa operar sem ter que pensar

A operação da câmera deve ser automática. Sempre existe um tempo de aprendizado, mas depois disso, se você precisar pensar no que vai fazer, ficar procurando opções em menus e uma miríade de botões, sua fotografia perderá espontaneidade e sua atenção não estará naquilo que importa.

Escolha uma câmera que não deixe você deslumbrado

É natural se animar com a câmera no início, mas se você fica deslumbrado com suas possibilidades, com sua qualidade, sua atenção também não estará no assunto. O equipamento é uma ferramenta, um meio, e não um fim. A menos que o seu propósito seja realmente apenas brincar com o equipamento.

Em suma, não escolha uma câmera da qual você se orgulhe, que chame sua atenção, que faça você querer ficar brincando com ela mesma. Escolha uma câmera que você possa esquecer.

 

Foto do topo: Toffee Maky

Um comentário sobre “Como escolher uma câmera

  1. Excelente texto! como sempre. O equipamento pode te oferecer uma qualidade superior da foto, mas se você se importar demais com ele, não vai conseguir captar e sentir o melhor do instante a ser fotografado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *