Impressão de fotos em impressora doméstica com bulk ink

Recentemente, diminuí a quantidade de fotos próprias postadas na internet, tanto em galerias como o Flickr como em fóruns e outros espaços. Concomitantemente, passei a ampliar uma quantidade maior de fotos. Meu formato preferido é o 15×21, um tamanho razoável mas que ainda é fácil de transportar e manipular. Para fotos mais importantes ou para montagens em molduras e painéis, uso o 20×30. Para isso, costumava usar o serviço de um laboratório para o qual enviava minhas fotos pela Internet e as recebia de volta pelo correio.

Embora a cópia em papel fotográfico feita em minilab tenha resultado satisfatório em relação à resolução da imagem, esse processo tem alguns inconvenientes. O primeiro — e mais importante para mim — é a falta de controle no processo. Por mais que os bons laboratórios aceitem as solicitações para não alterar as imagens no que se refere às cores, contraste ou cortes, muitas vezes a própria calibração da máquina já leva a um resultado diferente do esperado. O segundo é o tempo que se tem para receber as fotos, ou a necessidade de levá-las e buscá-las fisicamente na loja. E o terceiro é o custo: ainda que pequeno quando consideramos quantidades reduzidas, pode se tornar alto quando fazemos da ampliação uma rotina. Para efeitos de comparação, podemos ter em mente o preço de um laboratório bom e barato: R$ 1,60 para a cópia em 20×30 e R$ 4,00 para uma ampliação em 20×30.

Nunca tinha pensado em imprimir fotos na minha multifuncional Epson CX4900, um modelo já velhinho, com quatro cartuchos (ciano, magenta, amarelo e preto), até que um amigo me enviou pelo correio algumas de suas fotos, impressa uma Epson da mesma geração. Os resultados eram surpreendentes em termos de resolução e bastante vívidos no contraste e nas cores. Resolvi fazer o teste. Comprei algumas folhas de papel especial para impressão em alta resolução (que é chamado de papel fotográfico para impressoras jato de tinta) e mandei alguns arquivos digitais para a multifuncional. Mesmo sem nenhum tipo de calibração, as impressões me surpreenderam. Boa nitidez, cores e contrastes ótimos. E o melhor de tudo, sem ter ninguém interferindo no meu processo: fotos feitas diretas de arquivos Tiff de 16bits geradas a partir de RAW. Nada de compressão de JPEG pelo caminho.

Rapidamente fiz mais de 10 fotos em folhas A4, que é quase o tamanho de uma cópia em 20×30. O software que vem com a impressora permite escolher o perfil de cor ou selecionar simplesmente o modo Adobe RGB para calibração das cores. Tentei algumas fotos PB, que saíram um pouco colorizadas. Usei uma opção de usar apenas tinta preta, que resolveu a questão da cor, mas gerou fotos muito escuras. Foi preciso alguns ajustes e algum tempo até acertar o nível de contraste que levava a impressões mais fidedignas. Felizmente é possível ajustar níveis de brilho, contraste e de cada cor da impressora individualmente e salvar os resultados dentro do seu próprio programa. Todo esse processo pode ser um pouco frustrante, mas de forma geral é divertido, pois passamos a buscar o resultado quase de forma alquímica. É quase a mesma satisfação de ampliar quimicamente as próprias fotos e conferir o resultado surgindo no papel.

Mas, quando conseguimos obter a qualidade desejada na impressão, surge a questão dos cartuchos. Esses da Epson tem apenas 7ml de tinta e, como é possível imaginar, não agüentam muitas folhas A4 cobertas de tinta em qualidade máxima. E com cada cartucho custando cerca de R$ 25, esse sistema não seria muito econômico, além de pouco prático. Passei então a pesquisar formas alternativas.

Um sistema de tinta contínua (continuous ink system), também chamado de bulk ink, parecia ser a solução para os meus problemas. Pesquisei e comprei um desses industralizados, com chips que enganam a impressora e apontam estar cheios independentemente da quantidade de tinta nos cartuchos. Os recipientes não têm as esponjas dos originais e são alimentados continuamente pelos reservatórios que ficam ao lado do equipamento, através de mangueiras de silicone. A instalação foi um pouco suja, e a parte de puxar a tinta para os cartuchos com a seringa, com cuidado para evitar a entrada de ar é a mais complicada.

Image Hosted by ImageShack.us
Impressora com bulk ink instalado

Logo depois de instalado, o sistema parece falho: as impressões não saem 100% e aquele teste de impressão de linhas para verificar a necessidade de limpeza não fica bom, por mais que se faça o procedimento de limpeza das cabeças. Após um ou dois dias e algumas impressões depois, a coisa fica muito boa. Imagens perfeitas e sem falhas. Parece que é preciso de algum tempo para a tinta “assentar” ou para algum resquício de ar ser eliminado.

No entanto, para a impressão de fotos, há dois aspectos importantes com os quais a preocupação é contínua: a tinta e o papel. Há dois tipos de tinta, a corante e a pigmentada. A corante tem cores mais vivas, mas diz-se que desbotam com o tempo. Fala-se que a pigmentada é mais resistente, mas pode entupir as cabeças de impressão. Em ambos os casos, há fabricantes afirmando que suas tintas corantes não apagam com o tempo e suas pigmentadas são finas o suficiente para não causa entupimentos. Minha experiência não permite dizer se isso são mitos ou verdades. Estou usando tinta corante Formulabs, que é uma das marcas com maior referência de qualidade. É importante que o fornecedor seja idôneo e de fato entregue a tinta que promete. Desconfie de preços muito baixos.

O papel também é fundamental. Há diversos tipos e qualidades, de forma que o uso pode determinar qual tipo comprar. A gramatura é um ponto importante: quanto maior, mais denso é o papel, portanto mais firme e geralmente mais espesso. Geralmente há as opções de glossy (brilhante) e matte (fosco), mas esse último é diferente do fosco que estamos acostumados em laboratório, que se assemelharia mais ao semi-glossy para impressão em jato de tinta. Há outros com texturas e acabamentos especiais, como o canvas. Há material desenhado especialmente para fine art e portanto com valor compatível. Eu optei, para o uso diário, pelo Studiolab 270 g/m² e acabamento semi-glossy. O custo é relativamente baixo (R$ 1,45 por folha A4) e a qualidade é boa, recebendo bem a tinta. Papéis mais baratos dão a impressão da tinta estar depositada em blocos sobre o papel, enquanto nesse a tinta parece estar incorporada, parecida com uma fotografia por processo químico.

Image Hosted by ImageShack.us
Fotos 15×21 impressas com o sistema

Considerando que 400ml de tinta saem por R$ 40 (enquanto um cartucho original sai por R$ 25, com 7ml) e se estimarmos, bem por alto, que com isso dá pra fazer pelo menos umas 100 fotos (embora deva ser bem mais), podemos estabelecer um custo de R$ 0,40 por impressão. Ou seja, temos um gasto de R$ 1,85 por foto A4 em qualidade máxima, contra R$ 4,00 de uma ampliação 20×30 no laboratório. Tenho feito também muitas impressões em 15×21, colocando duas fotos em uma mesma folha A4 e depois refilando com estilete. O custo, nesse caso, é de no máximo R$ 0,92 por impressão.

Quando se altera o papel ou a tinta, pode ser necessário refazer o acerto de cores e de contraste, de forma que é interessante salvar as preferências de acordo com os tipos de insumo utilizados para não perder tempo a cada mudança. O ideal é manter o mesmo tipo de papel e o mesmo fornecedor de tinta para não se preocupar com isso.

É importante ressaltar, no entanto, que na Internet há muitos relatos de pessoas que não se deram bem com o sistema. Impressões de baixa qualidade, problemas nas cabeças de impressão e até mesmo inutilização dos equipamentos. O bulk ink invalida a garantia da impressora, então é melhor instalar apenas após o período coberto pelo fabricante. Há algumas empresas que fazem a instalação do sistema e dão garantia do mesmo, o que pode ser uma boa alternativa para quem quer diminuir os riscos.

A conclusão é de que a impressão caseira, mesmo em impressoras simples, atinge um nível de qualidade suficiente para a maior parte das aplicações. Tenho pensado que as fotos devem ser objetos e não permanecer apenas na tela do computador, como fotos “fantasma”. Essa experiência muda a concepção que temos sobre a própria produção, pois só uma foto viva, em suporte físico de tamanho razoável permite dizer se de fato o que estamos fazendo é bom ou não. E o sistema de tinta contínua é um ótimo caminho para que isso possa ser feito rotineiramente sem a preocupação com os gastos com tintas originais. A qualidade pode ser ainda maior com modelos mais novos e robustos de impressora, que empregam 6, 8 ou até mais cartuchos. A fotografia digital permitiu que o fotógrafo assumisse grande controle sobre as suas obras, e a última parte do processo, a impressão, também pode também fazer parte do seu fluxo de trabalho, propiciando a cada foto um sentido de autoria ainda maior.

Agradeço aos amigos Ivan de Almeida e Fernando Aznar pelas dicas e conversas sobre o assunto durante as últimas semanas.

68 comentários sobre “Impressão de fotos em impressora doméstica com bulk ink

  1. Olá, Rodrigo;
    Como você sabe, tenho usado tintas pigmentadas. Tive nesses últimos dias diversos problemas com a qualidade delas, pois, por preguiça, ao invés de encomendar as tintas ao fornecedor inicial (Formulabs Pigmentadas) comprei por aqui mesmo. O resultado é que não consigo saturar as fotos e não consigo intensidade nos pretos. Mas isso não é culpa do sistema que funcionou maravilhosamente com as tintas certas, com as quais fiz as fotos que lhe mandei inicialmente. Paradoxalmente, devido às dificuldades aprendi mais sobre a impressão. Consegui calibrar para essas tintas ruins (com senões), e vou gastá-las em parte fazendo fotos que quero distribuir mas que não precisam de extrema qualidade. Meu custo de impressão está menor que o seu, por volta de 1 real com papel glossy 180g.

  2. Ivan,

    O meu custo está alto por conta do papel. Usando os papéis que compramos em papelaria e de gramatura menor, fica mais ou menos a mesma coisa. Mas eu gostei muito do aspecto do semi-glossy.

    E você descobriu na prática essa questão da qualidade das tintas. De fato faz muita diferença, e vale a pena pagar um pouco mais pra ter um pouco mais de garantia sobre a procedência. Até porque, mesmo assim, ainda é inúmeras vezes mais barato do que a tina original.

  3. Rafael,

    A maior parte das pessoas que fotografa talvez nem precise da impressão, já que é mais fácil enviar as fotos pela internet e visualizar na tela. Mas para quem fotografa como uma atividade séria, que envolve estudo e criatividade, acho que a impressão é um passo fundamental

    Abraços.

  4. Muito interessante as suas ponderações e sem dúvida, atingir a qualidade final desejada é a recompensa de um longo caminho de pesquisa. MInha experiência com impressão de fotos começou exatamente com uma 4900, mas assim que possível, migre para uma de pelo menos 6 cores. A diferença é brutal. Outra constatação: independente da marca e preço, as tintas corantes desbotam mesmo, e rapidamente, se ficarem expostas à luz. Eu migrei recentemente para pigmentada, trabalhando com 6 cores, e o resultado é muito interessante. A diferença de custo existe, mas é maior no papel que suporta a pigmentada, do que a propria tinta, o que não se aplica no seu caso, por já utilizar um papel de primeirissima linha. Só acho, que é possivel manter o alto padrão, com um custo menor. Hoje eu imprimo uma A4, em papel 270gr, com pigmentada 1ª linha, americana, ao custo de r$ 1,35 aproximadamente.

  5. Elpis,

    Obrigado pelo seu depoimento. O custo que você relata é menor do que o que eu tenho. A grande dificuldade é encontrar um fornecedor de tinta que seja confiável e entregue um produto de qualidadea um custo razoável. Já ouvi relatos que corroboram a sua opinião de que as tintas pigmentadas são bem mais duráveis. Por enquanto ainda não penso em trocar equipamento, embora tenha curiosidade em verificar a diferença para as impressões de 6 cores.

    Um abraço.

  6. Olá amigos paz e sucesso a todos!

    Se permitem fazer um comentário, eu acharia legal que os amigosa acima pudessem fornecer fornecedores tanto de papel quanto de tinta isso ajudaria muita gente. Fica aqui minha sujestão.

    Obrigado a todos e Deus abençoe vcs todos.

    Adalberto Beraldo Simões

  7. Ótimo artigo mesmo, sobre as tintas corantes, tenho muitas fotos impressas todas ja estao mais claras, as que ficarao no sol ja estao brancas e as que nao era papel fotografico só estao mais claras, sera que um bom papel resolveria o problema das tintas e outra se fala na net de um spray para proteção para fotos, bom, comprei um nao adiantou em nda e ainda ficou feio o acabamento das fotos.
    Faça uns teste e deixe umas fotos no sol no dia a dia, com ousa um papel bom pode ser q ja possa responder minha pergunta aqui acima. Abraços e tudo de bom.

  8. Olá Rodrigo, gostei muito do seu texto. Como já se passaram aproximadamente 03 anos, gostaria sobre a duração das suas fotos feitas com tinta corante… Já desbotaram?

    1. Nossa comigo ta assim tb , tenho epson e as minhas impressoes esta desbotando cerca de 30 dias após a impressao.A minha tinta que uso fazem 9 meses e ainda nao acabou, o papel q uso disse ser bom o q rola?

    2. Amigo, pelo que entendi a tinta pigmentada nao perde a cor certo?e a corante perde. Bom, minha epson é a L355, tanque de tinta, tanques originais, e as impressões perdem a cor rapidamente, em torno de 1 semana se expostas à luz ambiente. O que ocorre? as tintas que vem com ela então sao de baixa qualidade? sao corantes e nao pigmentadas? Agradeço imensamente se me ajudar pq estou profundamente arrependida de ter comprado essa impressora. Ah, eu imprimo no papel fotográfico, a impressao fica excelente, o problema mesmo é que se apaga com o tempo

  9. Rodrigo, quero sugerir que você faça nova impressão de alguma dessas antigas fotos que perderam a cor na impressão corante, e poste aqui foto mostrando os dois suportes, comparando a impressão antiga (avariada) e a impressão nova (como deve ser).

  10. Bom dia Rodrigo, estou querendo comprar uma impressora com bulk ink para minhas impressões casual (impressões comuns e fotos) e não sei qual já te agradeço com qualquer dica.

  11. Bom dia! Eu uso uma epson xp-401 e adaptei com bulk ink mas quando vou imprimir fotos no papel glossy ele mancha e desbota o que faço? aqui é muito frio e não seca…o pior de tudo é que a capital do estado é muito longe e temos dificuldades para adquirir produtos melhores.
    Estamos começando agora com xerox pb, colorida, confecção de convites e fotos..
    Vc poderia nos dar dicas?

    1. Cicero,

      Com certeza compre uma EPSON, se possível uma que ja venha com Bulk de fabrica, sendo assim poderá imprimir fotos Originais, sem preocupação em desbotar.
      A preocupação é apenas a partir do momento que se compra tintas não originais de fábrica, mas espero muito que alguma empresa do ramo faça tintas assim para serem mais econômicas do que as originais.

      Um Abraço.

  12. Foi instalado o bulk na minha HP 8500 mas ao imprimir em papel digital 130 gr glossy, quando imprimo em modo fotográfico mas o preto sai vermelho. E se eu imprimir no modo normal o preto sai preto mas não seca a tinta no papel fotografico. O que posso fazer?

    1. Veronica.

      Tentarei ajudar.

      Será que a tinta vermelha (Magenta) esta saindo mais que as demais? Pode verificar isso verificando se ela estiver mais intensa em varias cores diferentes, porem se o vermelho so estiver intenso nas partes do preto, apenas nas partes do preto… então descarte esse problema.

      Ja sobre a Tinta preta nao secar… e etc, Olha, esse problema é porque a tinta preta nao é a correta para o papel que vc ta usando, pois ja ocorreu comigo isso, eu usar tinta de bulk HP preto em impressão de foto numa HP, e a tinta preta nao secar no papel, ou até seca, porem demora, e fica borrado.

      Troque o tipo de tinta, pergunte ao seu fornecedor qual tinta para bulk, para imprimir em papel de foto. Só que ai terá que fazer uma limpeza no bulk, pois nao pode misturar um tipo de tinta com outra, senão elas secam na cabeça de impressão, o que irá gerar dor de cabeça, entao para evitar isso, tire, esvazie por completo o bulk, sendo o reservatório, e também o cartucho, trate de imprimir ate secar tudo, ou usar o SNAP FILL para secar os cartuchos por completo.

      Ao secar eu uso agua, para limpar por completo, porém muito cuidado para “imprimir” com agua no cartucho, use agua apenas se souber o que ta fazendo, senão apenas seque, e troque de tinta, e imprima, imprima, imprima atéeee você ver que a tinta antiga saiu por completa , e a nova ja está sendo utilizada na cabeça de impressão mesmo.

      Qualquer duvida, pode me perguntar por aqui mesmo, Nao sou muito bom mas o que sei posso dividir.

      Abraços.

  13. Achei interessante as dicas, mas gostaria de saber sobre impressão em midias printablle, pois não estou tendo bons resultados em rotular. Qual a melhor marca e modelo (referência). Obrigado.

  14. Ola “amigos do ramo” (os profissionais e os amadores como eu..rsr). Vou tentar ser direto:
    Sou técnico em informática, e como as coisas andam difíceis, montei aqui em casa um ponto de Xérox – quase 1 ano já – e devido a procura de revelação de fotos, eu comprei uma Epson TX 115, fiz a adaptação do Bulk ink. e Tudo ok.

    Antes fiz impressão de Fotos com a tinta original dos cartuchos. e coloquei a foto na porta do guarda roupas, e até hoje a qualidade nao diminuiu em nada. Esta otima como no dia da impressão.

    Após colocar o Bulk, comprei papel fotográfico Brilhante 230g (R$ 0,50 unidade) – resolvi usar esse tipo pois achei os outros finos demais, e porque não sei no que isso altera, sou amador no assunto revelação e intermediário no assunto photoshop, quando parte para impressão so sei ver a qualidade e tamanho.

    Pensava eu que tudo Ótimo, mas após meses, vi que a qualidade ia diminuindo, como foi falado acima por voce e por outros, a foto está desbotando, até mesmo uma que deixei em um plastico, dentro de um livro, esquecida, achei ela nesses dias e esta desbotadíssima se comparado a quando foi impressa.

    Tinta do Bulk que uso é QUALY INK, (CORANTE)

    Fiquei até triste, pois com certeza os clientes vao reclamar também quando notarem isso. Claro que se forem expostos a muita luz, desbotarão mais rápidamente, e se nao, irão apenas demorar um ou dois meses a mais para começar a desbotar, so muda isso.

    MEU PEDIDO DE AJUDA, é o seguinte: ALGUEM pode me dizer se trocando o tipo de tinta (para Pigmentada) as fotos nao vão desbotar? ou vão durar mais? menos?
    O que ocorrerá de diferente se eu usar tinta Pigmentada – ao invés de Corante – para impressão de fotos de alta qualidade?
    Por favor alguém me responde.

    Gostaria também de tirar dúvidas de alguem, é so perguntar, como nao sei se as respostas a essa postagem aqui irão direto para meu email ou nao, eu vou deixar o email aqui no final para quem tiver alguma dúvida em relação outro assunto, ja que outras coisas eu sei, porém apenas minha duvida é essa que fiz acima, sobre o q ocorrerá de melhor se eu trocar o tipo de tinta…

    Desde já agradeço por lerem meu post.

    Email: juniorteen@hotmai.com

    1. Evaldo, encontrei este artigo, meio por acaso, pois não conhecia o blog. Desculpe estar metendo minha colher onde não fui chamado! Acho que posso contribuir com a informação de quem há oito anos imprime fotos ink jet com resultados fantásticos. A primeira dica é: Corante, jamais! Logo após a impressão, se passar o dedo, borra, Principalmente nas áreas de preto. A Pigmentada seca imediatamente. Além de que a tinta pigmentada não desbota rápido como a outra. Tenho impressos com a Pigmentada em papel Glossy com mais de seis anos sem alteração. Todo o segredo está na configuração da impressora, que envolve o tipo de papel, o perfil de cor adequado e a própria capacidade da impressora. Uso uma Epson R290 com seis cartuchos de cores e sistema Bulk Ink. Espero ter ajudado! Posso ser contactado pelo meu e-mail: guyjosephfotografo@gmail.com Abraços

        1. Caro Magno, há oito anos uso tintas pigmentadas (de diversas marcas), e nunca tive problemas com entupimento, O fato é que a fabricação das tintas para ink jet evoluíram no mercado norte americano e isso chegou ao Brasil. Meus impressos, tem a aparência e a qualidade comparável aos labs. Já submeti-os a chuva e sol, por vários dias, sem dano para a imagem. Já os impressos com a tinta corante, não resistiram a poucas horas de testes. Ah, um ponto muito importante na impressão em jato de tinta, é a configuração da saída na impressora, escolhendo o papel correto + perfil de cor + modo de impressão.
          Att
          Guy Joseph

          1. Sou fotógrafo e imprimo minha fotos constantemente. Tenho kit com 20 cartões postais, nas medidas 15X10 centímetros os quais tenho que imprimir para repor os que já foram vendidos.
            Abraços
            Guy Joseph

          2. Eu sou um usuário doméstico, com poucas impressões. Forço-me a imprimir algo semanalmente. Por isso acho que tinta corante não é pra mim.

          3. Eu recomendo a tinta pigmentada para impressões de qualidade fotográfica. A tinta corante, serve bem para serviços de impressão rápida, com nos birôs de impressão populares, pois são mais baratas.
            Abraços
            Guy Joseph

          4. Veja bem: A maioria desses birôs que fazem Xerox, escaneam documentos, imprimem apostilhas, fazem encadernação em papel sulfite, para estudantes e usuários diversos, não estão focados na qualidade que nós exigimos. Só a rentabilidade e rotatividade da clientela é que importa.
            Abraços
            Guy Joseph

          5. Caro Magno, quando insisto na tinta Pigmentada, em vez da Corante, é no caso da impressão fotográfica, com papéis, idem. Para a impressão em papel sulfite comum das copiadoras, isso não está em questão.
            Abraços
            Guy Joseph

          6. Eu acredito em você sem ver o trabalho. Minha opção por tinta corante dar-se porque aqui imprimimos pouco e não comercializamos os resultados.

      1. Olá amigo, pelo que li VC pode me ajudar uma vez que tem experiência ni assunto. Tenho uma hp photosmart e uso ela diariamente imprimindo fotos de minhas filhas pequenas, formando álbuns. Já entendi a diferença em relação a tinta e o desbotamento . o que acontece voltar meia e o aparecimento de umas manchas sempre azuis nas fotos. E não tem um padrão como tempo de impressão, gramatura, ou ação do tempo. Simplesmente surgem numas e noutras não, tipo uma oxidação talvez não sei explicar , possi ate mandar uma cópia pra VC. Espero sinceramente que possa me ajudar, no aguardo. Meu whats se facilitar 48 84413619

        1. Cinthia, é muito difícil poder te dar alguma orientação, sem poder examinar as fotos que apresentam o problema. Pela sua descrição, as manchas aleatórias surgem de forma inesperadas. Só posso entender que se trata de problema com a limpeza das cabeças ou tintas sem qualidade (cuidado com as tintas baratas demais!), ou ainda, papéis com má conservação ou armazenamento. Verifique!

  15. Bom dia! Tenho uma Epson L220 com tinta ORIGINAL e papel glossy a prova d’água Multilaser para jato de tinta mas depois de algumas semanas a impressão começa a desbotar.

    1. Vc conseguiu acertar a impressão com sua epson? Vi pessoas dizendo que carregam com tinha formulabs o reservatório da l220.

      Você cobsegue imprimir foto em qualquer tamanho sem margem?

      1. Tiago, uso as tintas micropigmentadas da Guardian adquiridas na web. Imprimo em qualquer formato, sem margens. Como já falei, com qualidade excepcional. Inclusive, em Preto e Branco/Tons de cinza, sem invasão das cores azul/verde/vermelho. Esse é o meu segredo: calibragem do monitor/ configuração correta da impressora/papel/tintas. Utilizo uma Epson Styllus Photo R290 com mais de dez anos de uso. Inclusive, já tive que resetar 3 vezes.
        Abraços
        Guy Joseph

      2. Tiago, uso as tintas micropigmentadas importadas da Guardian. Sim, consigo imprimir sem margens, com qualidade. Inclusive em Preto e branco/Tons de Cinza, sem invasão de cores. Uso uma Epson Styllus R290 com mais de 10 anos de idade. Já tive que resetar três vezes. Todo o meu segredo se encontra na perfeita calibração do meu monitor e configuração correta da impressora/papel/tinta.
        Abs
        Guy Joseph

          1. Magno, como falei, tive que resetar três vezes. A impressora tem um mecanismo que trava quando chega a um determinado número de impressões, avisando que a vida útil de determinados componentes mecânicos esgotou a vida útil, devendo-se procurar a assistência técnica. É assustador, mas, o que a assistência faz, é trocar a esponja encharcada, que retém os resíduos de tinta e fazendo a zeragem da memória do contador interno da impressora. Além disso, só fiz serviços de limpeza interna.
            Abs
            Guy Joseph

          2. Eu sabia da esponja. É bom saber que você só precisou dar atenção a ela três vezes em dez anos. É excelente saber que seu equipamento R290 atravessou esses 10 anos firme e forte, sem qualquer necessidade de conserto. A TX235W que temos aqui infelizmente deu defeito na placa lógica em pouco mais de 1 ano. Suspeito que tenha sido surto de energia, pois também tivemos de consertar uma fonte de alimentação recentemente. Ainda estou tentando encontrar tempo para lidar melhor com o problema da impressora. Enquanto isso estamos usando apenas uma C79 que não tem mais a qualidade original de preto (porque eu cometi a burrada de uma vez ligá-la em tensão de alimentação errada; ela precisava de um transformador tijolinho 220-110V e, num lapso, eu deixei de usá-lo).

  16. Olá, eu uso uma epson tx400 e uns meses atrás achei esses papeis glossy da hp nas minhas coisas e decidi usar. Como não tenho mais hp foi na epson mesmo. E saiu ótima, de verdade, mas agora uns meses depois eu vi que ela foi ficando avermelhada e agora perdeu quase que completamente as cores.
    Meu pai já imprimiu fotos antes e estão a anos ai com a mesma qualidade. (usando papel hp em uma impressora hp)
    Então minha duvida é: por que aconteceu isso? Usar papel fotografico de impressora A numa impressora B realmente é tão ruim assim? Ou pode se dar ao fato de eu não ter usado cartucho de tinta original da epson?
    Eu não entendo de fotográfia, achei que comprando só um papel bom e original serviria mas devido a esta experiencia vi que não.
    Se alguém puder me ajudar e me dar dicas a respeito fico grata.

    1. Muito provavelmente foi apenas por causa do tipo da tinta, diferente. Talvez o mesmo tipo de tinta, mas tinta de marcas diferentes, também faça diferença.

      Se uma coisa é pra tinta pigmentada e a outra é pra tinta corante, isso muda tudo.

    2. Carol, todo o problema deve se encontrar na qualidade da tinta (corante/pigmentada), + Configuração correta da relação papel/tinta/perfil de cores. Isso faz toda a diferença: Se a impressora está configurada para papel matte e você coloca um papel glossy não vai conseguir boa impressão. Os perfis de cores RGB/CMYK também interferem. Pra quem tem pc/windows o melhor programa para imprimir fotos é o Corel Draw. O Photoshop não é bom pra imprimir e nem foi projetado para isso. Impressões de arquivos Pdf dão muito bons resultados.
      Abraços
      Guy Joseph

    3. Carol, essa besteira de papel de uma determinada marca de impressora, é somente pra vender o papel daquela marca de impressora. Na verdade, os fabricantes de impressoras, ganham dinheiro vendendo tintas e papéis. Se você usar a tinta de qualidade e papel adequado, configurando a impressão para o tipo de papel (glossy/Matte/ Luster, etc), não tem erro.
      Abs
      Guy Joseph

  17. olá, alguém poderia escrever pra mim, indicando uma impressora atual boa para imprimir com tinta pigmentada originalmente? não quero gambiarras. quero uma impressora que ja venha pronta e que eu compre as tintas pigmentadas originais.
    quem me ajuda?

    1. É melhor ir às lojas e conhecer produtos e preços. O difícil será achar um vendedor mais entendido, mas não há muito mistério. Na Internet você deve buscar por modelos que sejam robustos. As impressoras HP quase sempre são mais duráveis. Não esqueça de avaliar orçamentos, de aquisição e de consumíveis.

      1. Gente, eu uso uma Epson Stylus R290, desde 2005. Instalei o bulk Ink e lutei muito até conseguir impressões impecáveis, com tintas pigmentadas. Até fotos em preto e branco, eu consigo imprimir, sem coloração esverdeadas/azuladas/avermelhadas. Preto puro, sem desvios cromáticos.
        Recentemente, procurei nas lojas a sucessora da R 290, que era a T 50 e não a encontrei, pois esta se encontra fora de linha e os vendedores não sabem informar qual a impressora que vai ocupar o lugar dela. Alguém sabe me dizer alguma coisa?
        Grato!
        Guy Joseph

          1. Eu mantenho o meu monitor calibrado, através Eye-one Display 2. Mas, existem outros calibradores. Muitas vezes os fabricantes de monitores disponibilizam calibração através software próprios, nos Cd’s/DVD’s que acompanham o produto. Lembro que o Windows tem um dispositivo de calibração.
            Abraços
            Guy Joseph

          2. Mas há um perfil de cores para o monitor e um perfil de cores para a impressora, não é? Alguns laboratórios fotográficos lançam mão de aparelhos que geram esses perfis. A calibragem é feita de acordo com a luz ambiente. Esqueci o nome do aparelho.

          3. Prezado Magno, a calibragem eletrônica do monitor é feita através de aparelhos que medem as cores, como o meu Eye-one Display2 X-rite, gerando um perfil para o monitor. Se o monitor não estiver calibrado corretamente, as cores que você vê na tela jamais se perecerão com o que você imprimir. Então, o primeiríssimo passo é a calibragem do monitor, que também pode ser feita pelo Windows, pelo sistema de tentativas de aproximação das cores reais. Já para a impressora, para cada tipo de papel e tinta há um perfil adequado. Para inprimir em um papel Glossy, escolho o “Premium Paper Glossy”. Escolho a gestão de Cor/Ajuste de Cor -Adobe RGB e Gama 2.2. Se quiser usar o perfil gerenciado pela impressora, escolha ICM (desmarcando a caixa de ajuste de cor), tudo isso, na Epson Stylus R290. Não conheço os ajuste da HP e considero para impressão Ink Jet, a Epson muitas vezes melhor.
            O fato é que seria bom estudar um pouco a teoria e gerenciamento de cores, que vão facilitar o trabalho de impressão em jato de tinta.
            Abraços
            Guy Joseph

          4. Da última vez que li, também havia aparelhos para calibrar e gerar perfis de cores para as várias configurações de impressão (papel/tinta).

  18. O meu calibrador é daqueles de ventosa, que fica sobre a tela fazendo a leitura de chroma, lux, etc. Ele gera um perfil que instalo no Photoshop e ele me avisa quando é a época de recalibrar o monitor. Não calibro a impressora, bastando usar os perfis inclusos na impressora.
    Abraços
    Guy Joseph

  19. Gostei de todo seu artigo, amo fotografar e revelar minhas fotos, tenho uma HP 4780, mas faço ótimas impressões em casa, convites lembranças , tag e etc., inclusive pra terceiros, porém tenho dificuldades para aquisição de cascos HP 60 preto e color em minhas cidade Florianópolis), uma vez que carrego eles em casa mesmo. As minhas fotos impressão em casa, quando expostas a luz natural desbotam rapidamente. Uso sempre tinta e papel de boa qualidade mas estava pensando que se usar papel à prova d’àgua, que nunca usei, talvez q cor fique mais tempo , o que acha? Grata desde já.

  20. Eu sempre usei os papéis fotográficos microporosos, que retém a tinta com secagem imediata. Tantos papéis Glossy (brilho), como o Matte (fosco), proporcionam ótimas impressões comparáveis às dos lab’s químicos. Faço impressão de cartões postais (que vendo em papelarias e bancas de revistas), além de imprimir cartões de visita para terceiros. As minhas fotos eu as imprimo no tamanho A4, sem margem e o resultado me satisfaz. No momento preparo uma exposição com fotografias impressas em ink jet, também conhecida como Giglée (pronuncia-se Ziglê), nos serviços de impressão Fine Art. O pessoal que imprime em Fine Art, utiliza papéis caríssimos, como os Canson, Hannemuller entre outros.
    Abraços
    Guy Joseph

  21. Boa tarde, adquiri uma impressora Epson L365 e estou tendo problemas na impressão. Estou utilizando tinha cortante, original da impressora para impressão em papel glossy adesivado brilhante 230g; ao retirar e deixar por precaução uns 10 minutos para “secar” não encontro problema nenhum. Entretanto ao destacar os adesivos e dobra-los para testar a tinta simplesmente se esfarela e sai do papel. O que eu devo fazer?! Os ajustes são feitos antes da impressão com relação ao tipo de papel e alta qualidade de impressão.

  22. Rapaz. Passei aqui p saber sobre as fotos que desbotam na minha epson l355.
    Mas fiquei lendo o bate e volta dos dois. Legal .
    Nesse vai e vem eu acho que obtive minha resposta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *