Teste compacta X DSLR

Há algum tempo, entrei em uma discussão sobre a suposta superioridade, em termos de qualidade, das reflex digitais (DSLR) sobre as compactas. Ouve-se dizer, com muita freqüência, que as fotos feitas com câmeras reflex são melhores. Antes de mais nada, é preciso contextualizar esse tipo de afirmação. Uma foto boa é uma foto que tem um conceito forte, uma boa composição, uma narrativa, uma boa exploração da luz. Nada disso tem a ver com qualquer aspecto técnico ou de equipamento. Portanto, a afirmação de que as DSLR produzem fotos melhores só podem ser consideradas dentro do aspecto técnico, que é apenas um detalhe da construção de fotografias.

Ainda assim, eu não entendo as diferenças entre os dois tipos de câmeras como sendo expressas em termos de qualidade de arquivo. Para mim, o que há é uma diferença de programas. O “programa”, no sentido que lhe dá o Flusser em Filosofia de Caixa Preta, é o modo de funcionar no aparelho, ou seja, tudo aquilo que ele foi construído para fazer. Obviamente, compactas em reflex têm programas diferentes — mas isso não quer dizer que um seja melhor do que o outro.

Uma compacta, por não ter espelho, ter lente incorporada e enquadramento pelo visor de cistal líquido, permite uma série de aplicações. É fácil de levar a qualquer lugar, é discreta, silenciosa. Já uma reflex, com o espelho móvel visualuzação através do visor ótico, sensor maior, permite outras aplicações, como fotos mais limpas com pouca luz, uso de lentes par aplicações específicas etc. A maior parte das aplicações se sobrepõem: com ambos os tipos de câmera é possível fazer fotos com luz do dia ou com flash, por exemplo.

E, mesmo quando entramos no mérito da tal qualidade das fotos, se usarmos cada um dos tipos dentro de seus respectivos programas, veremos que não há essa diferença gritante que se costuma ouvir. Por isso fiz as fotos abaixo, uma com uma Nikon 8700, que tem um sensor de dois terços de polegada e uma Pentax K100D, que tem um sensor mais de duas vezes maior (e que no imginário do pessoal que adora equipamento produziria fotos bem melhores). Você saberia dizer qual foto foi feita com qual?

Câmera 1

Camera 1 crop

Camera 1 inteira

Câmera 2

Camera 2 crop

Camera 2 inteira

Pois é, depois de algum tempo eu mesmo já não lembrava mais qual era a foto de cada câmera. Dá pra ver claramente que não existem diferenças gritantes de qualidade e a dúvida ao olhar os exemplos comprova isso. Portanto, não faz sentido dizer que há tipos de câmeras melhores do que outros, mesmo quando vamos direto aos aspectos técnicos. Também não é verdade quando dizem que para fazer fotos melhores, é preciso ter uma câmera reflex. Se você entender a programação da sua câmera, ou seja, compreender o que ela faz bem, você terá um terreno incivelmente fértil para boas fotografias. E, no fim das contas, como falei lá em cima, a última coisa que importa ao fazer boas fotografias é a tal “qualidade” do equipamento.

Um comentário sobre “Teste compacta X DSLR

  1. Acho que tem muita gente que está mais interessada na assinatura que coloca na correspondência do que outra coisa. Compram um corpo caro, usam uma objetiva de qualidade média e depois reduzem a foto para 600×400 pixels para colocar na internet.

    É claro que dependendo da utilização, determinado tipo de câmera pode ser mais adequado que outro. No aspecto artístico, realmente a diferença entre os equipamentos cai bastante (o Klaus Mitteldorf utiliza celular em alguns trabalhos dele). Em outras atividades, a diferença pode pesar bastante, seja pela qualidade da imagem, seja pela rapidez na resposta.

    Mas acho que o termo compacta já deve ser repensado hoje. A DP1 da sigma utiliza um sensor foveon e tem uma lente fixa de 28mm (campo de visão aproximado de uma 47mm em uma câmera 135mm). E ela é menor e mais leve que a Nikon 8700.

    No caso das tuas fotos (pequenas) eu reparei que aparecem mais detalhes na parede branca da primeira que parece possuir uma maior faixa dinâmica ou exposição diferente :-). Nos recortes eu não cheguei a ver muita diferença (mas também não vou ficar procurando). A diferença é que, na K100D, podes escolher uma objetiva que possua uma resolução melhor (aí vem o que eu escrevi no início).

    dDe qualquer forma, compartilho com a tua opinião (e do Eduardo). No caso do eduardo, gostei mais da primeira foto (independente da câmera utilizada).

  2. A parte menos importante da fotografia é a camera.

    Tenho uma DSLR que é otima. Top de linha, mas em diversos momentos preferiria ter uma compacta.

    Não existe camera boa ou camera ruim. Hoje em dia os aspectos tecnicos estão muito proximos. O que existe e a camera certa para você e a camera certa para o momento certo.

    []s
    MArcio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *